Foto sem descrição

CODHAB irá apresentar Ações Urbanas Comunitárias em seminário na UnB

A Diretoria de Assistência Técnica da CODHAB irá participar, nesta quinta-feira (28), do Seminário “Metropolização, Governança e Desenvolvimento na Área Metropolitana de Brasília (AMB): Desafios e Boas Práticas”, promovido pela Universidade de Brasília (UnB) e pela Companhia de Planejamento do DF (Codeplan).

O evento, que acontece no auditório do Instituto de Ciências Sociais, no campus Darcy Ribeiro da UnB, tem por objetivo promover a reflexão sobre a governança territorial sob a perspectiva dos seus principais desafios frente às questões da área metropolitana e do pacto federativo e de boas práticas que possam ser inspiradoras de novos modelos de gestão.

O arquiteto e urbanista Luiz Sarmento, da CODHAB, irá apresentar a experiência da Companhia com o projeto Ações Urbanas Comunitárias. Desde que foi implantado, em outubro de 2015, foram realizadas 53 ações em diferentes cidades do DF, com a renovação de 260 fachadas e a pintura de 28 painéis artísticos, beneficiando, indiretamente, mais de cinco mil famílias. Nas ações, governo e sociedade trabalham juntos e transformam ambientes, antes abandonados, em espaços de convivência, como parques, praças e hortas comunitárias.

Em formato de mutirão, as ações somam a participação de profissionais e estudantes de arquitetura e urbanismo, tanto da Companhia quanto voluntários, e dos moradores das comunidades. Desenvolvido pela equipe de Assistência Técnica da CODHAB, o “Ações” faz parte do Projeto na Medida, um dos eixos do Programa Habita Brasília.

Sobre o projeto

O projeto é subdividido em três eixos: “Se Essa Rua Fosse Minha”, “Botando Verde” e “Reciclo Urbano”. O objetivo do primeiro é proporcionar uma nova relação da rua com os moradores, qualificando o ambiente público por meio da pintura de muros, fachadas e paradas de ônibus, além da criação de painel artístico.

O segundo planeja e executa, também em regime de mutirão, hortas e jardins, além de fazer a arborização dos espaços.  De forma sustentável, o “Reciclo Urbano” transforma pneus, manilhas, canos e caixas em bancos, brinquedos, jardineiras e lixeiras, modificando as áreas públicas com criatividade e baixo custo.

A seleção das áreas onde acontecem as ações segue critérios específicos. Interesse e articulação da comunidade para melhorar o lugar, inexistência de infraestrutura ou manutenção, possibilidade de arborização e paisagismo, vazios urbanos públicos, conexão com praças ou espaços de relevância e grande fluxo na comunidade são alguns deles.

 

VOLTAR AO TOPO