Foto sem descrição

I Jornada de Assistência Técnica em Habitação de Interesse Social envolve 100 estudantes

Mostrar a realidade das famílias que vivem em Áreas de Regularização de Interesse Social e aproximar os escritórios-modelo ao trabalho desenvolvido pelo governo foram alguns dos objetivos da I Jornada de Assistência Técnica em Habitação de Interesse Social (Jathis). Promovido pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF (CODHAB), o evento, que termina nesta quarta-feira (11), contou com três dias de atividades, divididos entre palestras e oficinas.

“Nosso objetivo é fazer com que os estudantes, que em breve estarão no mercado de trabalho, entendam a responsabilidade de um profissional de arquitetura: muito além de um projeto bem feito, há a responsabilidade social. Não só atendemos famílias, mas atendemos cidades inteiras e fazemos parte da transformação delas”, explicou a arquiteta Sandra Marinho, que é coordenadora de Assistência Técnica da CODHAB. 

Com a participação de 100 alunos de oito instituições de ensino de todo DF, a Jathis apresentou a experiência em assistência técnica da Companhia e abriu espaço para que os estudantes visitassem alguns dos postos da CODHAB que oferecem o serviço gratuitamente. QNR, Porto Rico e Sol Nascente Trechos I, II e III foram as áreas escolhidas, em que os estudantes puderam conhecer a comunidade e ter acesso a algumas casas de moradores. 

A aluna de arquitetura e urbanismo da faculdade IESPLAN, Simone Barros, contou que já havia se interessado pelo trabalho da Companhia em uma palestra anterior e que ficou mais curiosa agora. “Foi o primeiro contato com a Assistência Técnica dentro da faculdade. Mudei minha visão sobre arquitetura, principalmente pela parte social. Aprendi o que não aprendemos em sala de aula e gostei muito”, completou. 

Já André Luís Fagundes, estudante de arquitetura do 7º semestre do IESB, gostou tanto do aprendizado quanto da organização do evento. “Foi um choque de realidade. Nunca imaginei que tão próximo pudesse haver uma desigualdade tão grande. Percebi que os problemas das casas são graves, mas com uma pequena ação de arquitetura podem ser solucionados. Muito válida a experiência”, disse. 

Para a professora do UniCEUB, Ludmila Correia, a Jathis trouxe a opção de criar uma ação contínua. “Vemos muitas ações pontuais, mas sem sequência. Percebo que muitos alunos querem ajudar, fazer mais, mas não sabem por onde começar. Esse pode ser um bom início. Eu mesma, que fiz mestrado nessa área, sempre quis realizar esse tipo de extensão”, elogiou. 

 A Jornada de Assistência Técnica foi  realizada pela CODHAB em parceria com a Secretaria de Estado de Gestão do Território e Habitação (SEGETH) e o Colégio de Entidades de Arquitetura e Urbanismo do Distrito Federal (CEAU/DF).

 

VOLTAR AO TOPO